Notícias

VER TODOS

ADEPOL-SC visita delegados da região de Caçador

ADEPOL-SC visita delegados da região de Caçador

Na tarde desta quinta-feira (12), a Associação dos Delegados de Polícia de Santa Cataria (Adepol-SC) e os Delegados de Polícia da região de Caçador discutiram sobre segurança pública e as prioridades da área.

Caçador é a vigésima primeira regional da Polícia Civil que foi visitada pela Adepol. O objetivo das visitas é verificar quais as demandas locais e estaduais para melhoria da qualidade e da eficiência da Polícia Civil.

Em Caçador foi identificado como prioridade o aumento do efetivo, a importância da valorização dos policiais, com promoções efetivas, além da necessidade da recomposição salarial e o investimento equipamentos e em tecnologias.

Depois das reuniões nas 30 regionais do Estado, a Adepol vai apresentar as demandas a Delegacia Geral da Polícia Civil, Secretaria de Segurança Pública e Governo do Estado.  

Segundo o Presidente  da Adepol, Delegado Ulisses Gabriel, “a região de Caçador, através do Delegado Regional, Dr. Fabiano Locatelli, e os demais delegados, policiais e outros colaboradores merece muitos elogios pela organização, pela eficiência e pelos resultados, sendo que essas reuniões são importantes para ouvir os delegados e verificar as prioridades, fazendo-se um raio X de todo o Estado, para que possamos apresentar sugestões e cobrar medidas para que a população possa ter um atendimento mais qualificado e a Polícia Civil possa ser mais eficiente e atender todas as regiões de forma igualitária, já que não podemos permitir que o crime migre para cidades do interior do Estado. Entendemos que o crime não pode se criar nessas cidades. Se praticar um crime, qualquer que seja a cidade, tem que existir  uma forte reação do Estado, devendo a segurança ser prioridade absoluta por parte dos gestores estaduais. Não é admissível que o cidadão fique em regime semi-aberto e o criminoso na rua, o que torna-se ainda mais preocupante a situação é a falta de vagas no sistema prisional. Ninguém mais aguenta essa sensação de insegurança e de impunidade, decorrente de leis que beneficiam bandidos. Criminoso tem que ser preso. Mas para isso, tem que ter presídio. Estando preso, tem  que ser obrigado a trabalhar para pagar por sua cela e comida.”

PUBLICIDADE Crossfit interno

Outras Notícias

VER TODOS