Notícias

VER TODOS

Encontro dos Delegados de Polícia inicia com palestra do ex-ministro José Eduardo Cardozo

Encontro dos Delegados de Polícia inicia com palestra do ex-ministro José Eduardo Cardozo

Essa sexta-feira foi marcada pela abertura do 45º Encontro dos Delegados de Polícia do Estado, tradicional evento realizado pela Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina – ADEPOL-SC, que reúne delegados de todo o Estado e seus familiares para confraternizar, além de participarem de palestras técnicas e motivacionais.

A solenidade de abertura contou com a presença de diversas autoridades, em destaque o delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Artur Nitz, representando o governador do Estado, Raimundo Colombo; o deputado Darci de Matos, que não poupa esforços para garantir as prerrogativas da entidade e lutar pelos direitos dos policiais civis; o advogado e ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo; e o presidente da ADEPOL-SC, Dr. Ulisses Gabriel, que compuseram a mesa de autoridades.

No discurso de abertura, o presidente da ADEPOL-SC destacou a missão dos delegados e a importância da união da classe. “É nossa missão garantir a segurança dos cidadãos, o que é desempenhado com muito orgulho, mas muitas vezes sem reconhecimento. Por isso, dedico esta fala a todos os nossos colegas, não como heróis que vemos na televisão, mas seres humanos que tem sentimentos, anseios e sonhos, e desejam dar o melhor de si para garantir a segurança pública. Nossa classe tem que se unir cada vez mais perante os obstáculos que batem à nossa porta a cada dia. Busquem o máximo de eficiência, sejam ousados e planejem seus objetivos”, destacou Dr. Ulisses Gabriel ao relembrar ainda as lutas e conquistas à frente da ADEPOL-SC.

Durante a cerimônia, uma homenagem de honra ao mérito pelos serviços prestados à classe foi concedida ao delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Dr. Artur Nitz, ao deputado Darci de Matos e ao presidente da Coordenadoria Executiva de Negociação e Relações do Estado de Santa Catarina - Coner, Dr. Décio Vargas.

O palestrante da noite foi José Eduardo Cardozo, advogado e ex-ministro da Justiça (2010-2016), responsável pela autonomia da Polícia Federal, especialmente nas operações Lava Jato e Petrolão. E foi sobre a autonomia das polícias que ele tratou, apresentando um quadro sobre o papel que a Segurança Pública tem no plano do Estado e destacou o estado que a Segurança Pública do País se encontra.

Ele iniciou a palestra explanando sobre o modelo do Estado de Direito, entre conceito e realidade, fundamental para legitimar o poder, e afirmou que a situação da Segurança Pública no Brasil é calamitosa, questionando por quê o sistema não consegue combater a criminalidade. “O primeiro fator é porque há uma ausência de dados e informações seguras sobre a criminalidade. Cada Estado tem o seu controle e age de acordo com seus métodos, então o Governo Federal tem que combater o crime, mas não sabe onde e nem como ocorre. Qualquer plano de combate à criminalidade tem que passar por um processo de análise de informações e é aí que se encontra o principal problema”, relatou José Eduardo Cardozo, elencando outros fatores: a exclusão social, as organizações criminosas, que florescem dentro dos presídios devido às más condições carcerárias, a ausência de políticas sociais, entre outros. “A segurança pública não é fundamentada apenas na Lei Penal, mas na união desses fatores”, afirmou.

Para José Eduardo Cardozo, a autonomia das polícias não significa liberdade para o arbítrio. “A atividade policial tem que ser livre para se cumprir a lei. O Governo não pode definir quem se investiga, e essa garantia da autonomia é fundamental para termos um sistema de Segurança Pública melhor”. E encerrou a palestra refletindo que não consegue pensar a autonomia policial sem o Estado de Direito, pois sem esse não se arbitra, não se opera e não se tem legitimação. Segurança Pública se faz com respeito à lei e com decência”, finalizou.

No sábado pela manhã, haverá a palestra do delegado de polícia do Rio de Janeiro Cláudio Ferraz, o mais temido e detestado pelas milícias do Rio de Janeiro, coautor do livro A Elite da Tropa 2, que inspirou o filme, além da Assembleia Geral Ordinária. À noite, uma homenagem aos ex-delegados gerais e ex-presidentes da Associação inicia a noite, que contará também com uma palestra de Clóvis de Barros Filho, e um jantar dançante.

PUBLICIDADE comarca interno 1 Anuncie

Outras Notícias

VER TODOS