Notícias

VER TODOS

Palestra com Caco Barcellos marca última noite do Encontro dos Delegados de Polícia de Santa Catarina

Palestra com Caco Barcellos marca última noite do Encontro dos Delegados de Polícia de Santa Catarina

O 46º Encontro Estadual dos Delegados de Polícia de Santa Catarina encerrou nesse sábado com uma palestra de Caco Barcellos, renomado jornalista, repórter e escritor premiado, que se dedica ao jornalismo investigativo de relevância social há mais de 40 anos.

Enviado especial a vários países e repórter dos maiores jornais do Brasil, Caco Barcellos é autor de três livros e vencedor de mais de 20 prêmios por reportagens especiais e documentários produzidos para televisão, entre os quais dois prêmios Vladimir Herzog. Durante o Encontro da ADEPOL-SC, o jornalista falou sobre Como gerenciar crises e sua experiência com o programa Profissão Repórter, que está há 10 anos no ar, contando e vivenciando histórias.

Ele salientou a importância que a imprensa tem na cobertura e divulgação da criminalidade e violência no País. Enfatizou que no Brasil morrem mais pessoas por ano do que nas guerras mais bárbaras do mundo. “Eu tenho orgulho daquilo que se faz e tenho vergonha daquilo que não se faz. A imprensa tem o dever de pesquisar e contar a verdade e o contexto é tudo no nosso trabalho. Os jornais tendem sempre a divulgar a violência sem contexto, propagando a ação da polícia militar, passando a impressão de que os assaltantes e traficantes são os inimigos número um; porém, no Rio de Janeiro, por exemplo, esses são responsáveis por apenas 4% das mortes no País; por outro lado, 27% das mortes são cometidas pelas chamadas tropas de elite. Sempre tem a desqualificação moral de quem morreu, resumindo que é bandido, a imprensa divulga sem saber. Os outros 69% são formados pelo chamado matador brasileiro, que mata por ciúme, por discriminação, por racismo ou qualquer outro motivo banal do dia a dia. E isso não é divulgado com a mesma propagação”.

Caco Barcellos encerrou enfatizando que é preciso resolver a questão da violência, mas que acha uma grande injustiça colocar a culpa da violência na polícia. “A sociedade tende a colocar na polícia a responsabilidade de uma solução, mas essa responsabilidade é de todos nós”, destacou.

O presidente da ADEPOL-SC, Artur Régis Neto, encerrou o evento agradecendo a presença de todos e parabenizando todos os delegados pela data especial, 3 de dezembro, pelo Dia do Delegado.

PUBLICIDADE Crossfit interno

Outras Notícias

VER TODOS